Ver todos os posts de Dr Salim

Doutor Salim Médico de Família vai coordenar o “2º Encontro sobre Análise Crítica da Prática Médica”

O “2º Encontro sobre Análise Crítica da Prática Médica” acontecerá nesta terça-feira, dia 15 de setembro, e será coordenado pelo doutor Alfredo Salim, clínico-geral do Hospital Sírio Libanês, e pelo doutor Dário Birolini, cirurgião geral do Hospital Sírio-Libanês e professor emérito da Universidade de São Paulo.

O evento, que terá a participação do convidado internacional doutor Marco Bobbio, tem o objetivo de discutir alguns aspectos críticos do exercício profissional dos dias de hoje. A ideia é abordar o que a prática atual acrescenta na qualidade e perspectiva de vida da população.

O encontro é destinado a médicos, gestores, profissionais da área da saúde, jornalistas, profissionais da indústria farmacêutica e seguradoras e todos os interessados no assunto.

O “2º Encontro sobre Análise Crítica da Prática Médica” será das 9h às 16h, no Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, que fica na Rua Professor Daher Cutait, número 69, no bairro da Bela Vista, na cidade de São Paulo.

O Instituto Sírio-Libanês concederá o certificado de conclusão do curso de seis horas ao final da atividade.

 INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:

Programação: clique AQUI

Site: http://bit.ly/1PQEkOZ

 Telefone: 11 3394-0100

 E-mail: iep@hsl.org.br

ESTACIONAMENTO

Serviço de manobrista

Valores: 1ª hora R$ 15,00 – Demais por hora R$ 6,00

COORDENADORES:

– Dr. Alfredo Salim Helito:

Clínico Geral do Hospital Sírio Libanês.

Autor dos livros “Saúde – entendendo as doenças” junto com o Dr. Paulo Kauffman e “Análise Crítica da Prática Médica” ao lado do Prof. Dr. Dario Birolini.

Coordenador do estágio de observação clínica para acadêmicos do Hospital Sírio Libanês.

Consultor Médico da Rádio Jovem Pan.

Prof. Dr. Dário Birolini:

Professor Titular da Disciplina de Cirurgia do Trauma do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo de 1987 – 2007.

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo, Doutorado em Medicina e Livre Docência (Clínica Cirúrgica) pela Universidade de São Paulo. Foi Professor Titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Disciplina de Cirurgia do Trauma do Departamento de Cirurgia) de 1987 a 2007. Foi colaborador do Ministério da Saúde, Diretor Clínico do Hospital Sírio-Libanês e Presidente do Comitê de Trauma – Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Cirurgião Geral do Hospital Sírio-Libanês e Professor Emérito da Universidade de São Paulo.

CONVIDADO INTERNACIONAL:

Dr. Marco Bobbio:

1976 – Graduação em Medicina em Torino;

1979 – Especialização em Cardiologia em Torino;

1982 – Especialização em estatística sanitária, em Roma;

1997–1998 – Pesquisador fellow pela Cadars-Sinai Medical Center em Los Angeles;

1990-2006 – Responsável pelo Programa de Transplante Cardíaco em Torino;

2006-2014 – Diretor do Departamento de Cardiologia do Hospital de Cuneo.

Saiba Mais

Idoso, pratique atividade física!

O idoso tem que praticar atividade física, não é para correr maratona ou carregar 30 quilos, mas é preciso se condicionar a caminhar diariamente para ter uma boa musculatura, que ajuda em tudo o que causa dificuldade no idoso. Os exercícios físicos, mesmo que suaves, são muito importantes para as pessoas velhas.

Outra dica importante para o idoso é: ter humildade. É necessário aceitar que tem dificuldades, problemas e aceitar ajuda e a colaboração de seus familiares para que tenha uma velhice saudável e feliz.

Humildade é aceitar ajuda, cuidados e mudanças na vida, como não morar mais sozinho. O idoso que não aceita ajuda pode ter um problema sério futuramente.

Saiba Mais

Como cuidar da audição da pessoas mais velhas?

É muito comum as pessoas com idade, depois dos 60 anos principalmente, começarem a diminuir a capacidade de audição. Isso pode ser chato, desagradável e perigoso. Há acidentes que acontecem, por exemplo, em que o idoso sozinho em casa não ouve o telefone tocar comunicando algo importante, como um incêndio.

Portanto, a audição também tem que ser cuidada, o idoso merece um teste, mesmo que sumário, de como está a sua audição. Uma pequena dica é: se o volume da TV ou do rádio estiver alto, o idoso está com uma deficiência auditiva. A partir disso, faça uma avaliação com o otorrinolaringologista.

É muito importante que o idoso ouça o melhor possível por causa da segurança e também para integrá-lo na família e na sociedade, porque uma pessoa surda quando participa de uma conversa se torna chata, já que não entende o que as pessoas falam. Assim, o idoso se sentirá mal e as pessoas ao seu redor também.

Então, toda família precisa ver se o idoso está com alguma deficiência auditiva, levá-lo ao médico para uma avaliação adequada e permitir que ele ouça o melhor possível. Isso é muito importante para prevenir acidentes e integrá-lo socialmente!

Saiba Mais