Bebida e direção: dois fatores que não combinam | Por Dr. Salim Médico de Família do Hospital Sírio-Libanês CRM 43.163

Bebida e direção: dois fatores que não combinam

Com a chegada do final de ano acontecem diversos eventos, confraternizações, festas e encontros para reunir os amigos ou familiares. Embora sejam momentos agradáveis, na maioria das vezes, nunca faltam bebidas alcoólicas. Por isso, ao voltar para casa dirigindo, é preciso muita atenção!

No Brasil, o Artigo 165 do Código de Trânsito determina infração para quem dirigir sob a influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa que causa dependência. Mas, esse não é o único problema com o qual você deve se preocupar.

Ao dirigir embriagado, além de receber a suspensão da carteira de habilitação e uma multa, você também coloca em risco a sua segurança, dos seus acompanhantes e de todas as pessoas que dividem o trânsito contigo.

Preparamos este artigo para falar sobre os perigos que envolvem bebida e direção, para que você possa aproveitar o final do ano e também o verão com responsabilidade. Acompanhe.

Porque não devemos associar bebida e direção?

As bebidas alcoólicas são muito apreciadas, não apenas por seu sabor, mas também por ajudar a relaxar o corpo e a mente. Quando saboreadas em pequenas doses, a pessoa sente a influência dessa substância no organismo como um estimulante, favorecendo sua comunicação e interação.

Mas, é importante lembrar também que, quando consumido em excesso, o álcool provoca efeitos desastrosos no organismo. Isso já foi reconhecido pelo Código de Trânsito Brasileiro, que prevê como infração a ingestão de pequenas quantidades de álcool, antes mesmo de o indivíduo começar a dirigir.

A taxa de tolerância para os motoristas é de 0% no sangue, mas o bafômetro pode apresentar uma margem de erro, por isso, quem apresentar resultados a partir de 0,05 miligramas de álcool por litro de ar, sofrerá sanções. Esse valor é equivalente a menos de um copo de cerveja, portanto, para não ser multado o ideal é não beber.

Quando associamos bebida e direção, os prejuízos financeiros não são a única preocupação. Afinal, o álcool é uma substância psicoativa e seus efeitos são sentidos em todo o organismo, já que ele atua como um depressor do sistema nervoso central.

A seguir, veja quais são os efeitos do álcool que causam tanta preocupação quando se está no trânsito.

Redução da atenção

O álcool diminui a função dos centros nervosos, e também reduz a capacidade de discernimento do indivíduo. Além de deixar a pessoa com uma sensação de euforia e excitação, também faz com que as situações ao redor sejam despercebidas.

Sonolência

Por afetar o sistema nervoso e provocar o relaxamento do organismo, o álcool concede uma sensação de sonolência para o indivíduo, fazendo com que o risco de acidentes aumente ainda mais.

Reflexos mais lentos

O cérebro sente mais dificuldade para responder aos estímulos e situações, então, o indivíduo que bebe também apresenta reflexos mais lentos. Por isso, ele pode não conseguir evitar acidentes no trânsito, já que o seu tempo de resposta é mais longo.

Perda da força e coordenação motora

A musculatura também se torna enfraquecida quando o indivíduo está sob o efeito do álcool. Além disso, sua coordenação motora é afetada, uma vez que ele pode se atrapalhar com os comandos do veículo e causar graves acidentes.

Ansiedade e irritabilidade

O álcool deixa o indivíduo com uma sensação crescente de ansiedade, então, ele sente mais pressa para fazer as coisas. Além disso, se torna mais irritadiço, perdendo a paciência e tomando decisões impulsivas e irracionais no trânsito.

Alteração das funções visuais

Outro efeito percebido do álcool no organismo são as alterações de algumas funções visuais, fator preocupante para quem está dirigindo e precisa permanecer atento a tudo que acontece ao seu redor.

E não é só isso, porque o álcool provoca ainda muitos outros efeitos colaterais, que aumentam significativamente as chances de acidentes no trânsito, tais como:

  • comportamento incoerente;
  • entorpecimento fisiológico;
  • alterações do equilíbrio;
  • redução da consciência;
  • dor de cabeça;
  • perda do julgamento da realidade.

Lembrando que os efeitos do álcool se agravam quanto mais ele está presente no organismo, mas isso não significa que pequenas doses não provoquem nenhum tipo de efeito. Por isso, seja consciente e se tiver a intenção de beber, evite sair de casa dirigindo, afinal, bebida e direção definitivamente não combinam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *