BLOG

Glomerulonefrites

O que são?

Neste grupo de doenças renais, chamadas glomerunefrites, estão inclusas todas as patologias nas quais a lesão renal ocorre nos glomérulos, por isso o termo glomerulonefrite – inflamação dos glomérulos. Cada rim contém aproximadamente 1 milhão de glomérulos, que são pequenas unidades por onde passa o sangue arterial que nelas será filtrado e depois retornará à circulação sistêmica (que atinge todo o organismo), pela veia renal, em direção à veia cava. O produto dessa filtração, chamado de filtrado glomerular, ainda deverá percorrer uma série de estruturas tubulares, onde dezenas de trocas hidroeletrolíticas ocorrerão, antes que o filtrado glomerular, bem modificado, atinja o espaço urinário.

Como são classificadas?

As glomerulonefrites compreendem um grupo de doenças nas quais a lesão renal principal está localizada nos glomérulos renais e são classificadas em primárias ou secundárias, quando o comprometimento renal é consequência de alguma doença sistêmica, como hepatite B, hepatite C, lúpus ou diabetes, por exemplo. Já a lesão renal não está relacionada a nenhuma outra doença sistêmica, sendo as mais comuns a nefropatia por IgA (imunoglobulina A), lesão mínima, glomerilonefrite membranosa e glomerunefrite segmentar e focal.

Quais são os seus sintomas?

As glomerunefrites sempre apresentam algum tipo de manifestação urinária como proteinúria, ou hematúria, ou ambas. A perda de sangue pela urina (hematúria), quando ocorre é, na maioria das vezes, microscópica e o paciente não percebe, exceto na nefropatia por IgA que pode se manifestar por hematúria mais exuberante, quando a urina fica francamente avermelhada.

A perda de proteínas pela urina (proteinúria) também pode ser assintomática ou o paciente pode notar um aumento na quantidade de espuma na urina. Nos casos de proteinúria nefrótica, ocorre inchaço nas pernas, que depois pode se estender para o tronco e para o rosto, o inchaço generalizado é chamado de anasarca. Hipertensão arterial também pode ocorrer e, dependendo da gravidade da doença, os rins poderão ter comprometidos a sua capacidade de filtrar o sangue, determinando um aumento nos níveis sanguíneos de ureia e creatinina, situação que denominamos de insuficiência renal.

Qual é o prognóstico?

O prognóstico das glomerunefrites é extremamente variado, dependendo do tipo, pois cada uma das glomerunefrites tem uma evolução peculiar e, mesmo um determinado tipo de glomerunefrite pode ter evolução muito diferente de um paciente para o outro. Contudo, de um modo geral, há uma grande porcentagem de pacientes que evolui para insuficiência renal crônica, muitas delas necessitando de tratamento dialítico (através de diálise) ou transplante renal.

Como se trata?

Uma vez feito o diagnóstico preciso da doença glomerular, faz-se um planejamento terapêutico individual, para casa paciente, que leva em consideração o grau de comprometimento renal, outras doenças associadas, os riscos terapêuticos e a idade do homem. Após o início do tratamento, que é sempre medicamentoso, é feito acompanhamento periódico para monitorar a resposta terapêutica e a evolução da doença. Muitas vezes, é necessário o uso de medicações imunossupressoras.

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OU MANDE UMA MENSAGEM