BLOG

Obesidade: remédios para emagrecer causam grave dependência

Não adianta emagrecer com remédio que à médio prazo gera o efeito rebote, alerta o médico de família. Existem doenças que acompanham a obesidade e merecem tratamento medicamentoso, veja nas seguintes questões:

 

As doenças e a obesidade

A Doença de Cushing é uma síndrome de hiperprodução de hormônio na suprarrenal, o sobrepeso é resultado dessa patologia e é logico que para tratar você necessita de medicamento.

No Hipotireoidismo o líquido incha a pessoa e ela fica com sobrepeso, tem que tratar.

No caso do Problema renal que a pessoa está inchada, ganha peso e tem que tomar diurético.

Quando existe uma doença que leva ao sobrepeso e deixa a pessoa ficar obesa, inchada ou gorda, o tratamento é cuidar da doença de base, podendo utilizar os medicamentos.

Veja também: Obesidade não se controla com cirurgia bariátrica

A obesidade e os medicamentos

Quando não tem doença de base nenhuma e a pessoa é obesa de verdade, todos os remédios para emagrecer são praticamente impróprios. A pessoa vai procurar emagrecer tomando alguma coisa que tira o apetite ou que “queima gorduras”. A maioria dos remédios que diz queimar gorduras não queimam coisa nenhuma e até podem causar problemas grandes.

Injetar substancias localizadas para diminuir a gordura pode causar problemas seríssimos e inocular bactérias e fungos. Existem injeções que se aplicam na pele e provocam contaminações por microbactérias, às vezes nunca mais a pessoa vai se livrar.

A pressão dos laboratórios e da indústria farmacêutica é muito grande. Mas a pessoa vai tomar o quê? O tal do Victoza para o resto da vida? Os medicamentos a base de anfetaminas causam dependência. Daqui a pouco, a pessoa vai tomar esses remédios para engordar pouco e não para emagrecer. E na verdade, a pessoa está dependente da droga.

Veja também: Tratar a obesidade requer esforço, dedicação e paciência

Teve uma vez que o remédio foi capa da Revista dizendo que chegou a solução do problema da obesidade. Ai de repente começou a morrer gente, gente se matar por causa do tal do Acomplia. Tiraram imediatamente do mercado. E foi capa de um semanário muito lido no Brasil e contou com o apoio de médicos. E realmente, trouxe problemas graves.

Tem remédio que aumenta a eliminação de açúcar na urina, também pode causar um certo emagrecimento e trazer problemas. Todas essas fórmulas para regime, trazem problemas associados. E a pessoa nunca consegue se livrar da fórmula e continuar magra como no começo, porque existe o rebote, a pessoa não fez a reeducação alimentar. Nem sempre está fazendo caminhadas e exercícios, só emagrece às custas do uso da droga. Isso tem tempo limitado. Tem pavio curto. E daqui a pouco ganha peso tudo de novo. Por quê? Porque, o remédio pode fazer perder peso, mas não muda seus hábitos tanto de alimentação quanto de exercício físico. Leia também outros alertas de estilo de vida, clique aqui.

Eu, particularmente, sou contrário ao uso de drogas para emagrecimento como sendo a solução da obesidade. Até a próxima!

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OU MANDE UMA MENSAGEM

agsdi-whatsapp