Resultados da busca por: febre amarela

Cuidado com a leptospirose! - Dr Salim

Cuidado com a leptospirose!

No verão, época em que ocorrem muitas chuvas, é importante tomar algumas medidas de prevenção à doença, que pode causar diversos problemas de saúde.

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria do gênero Lesptospira, transmitida por várias espécies de animais: roedores, caninos, suínos, bovinos e outros.

Pode ser detectada em locais de criação de animais, como estábulos, cocheiras, canis e pocilgas, e em tubulações de esgoto doméstico ou de outras instalações. A leptospira é eliminada pela urina de animais infectados, contaminando o ambiente e todo o material a que eles tiverem acesso.

No nosso meio, o rato é o principal transmissor. Ele elimina a bactéria através da urina, contaminando córregos, esgotos e bueiros. Em locais onde ocorrem inundações, por ocasião de chuvas, a água de enchentes é uma das principais fontes de contaminação e mesmo após as enchentes, com vazão das águas, persiste o sedimento formado por lama e outros resíduos contaminados pela bactéria, o que favorece sua permanência no ambiente por longos períodos de tempo.

Pessoas e animais se infectam em decorrência de atividades ou circunstâncias, como: entrar em contato com as águas poluídas pela urina dos roedores ou pela urina de outros animais contaminados, nadar ou procurar drenar as águas de enchentes e manter o contato prolongado com os resíduos espalhados nos ambientes.

O período de incubação é de 24 horas a 30 dias, sendo em média de 7 a 14 dias. A doença pode ser assintomática, subclínica, com sintomatologia semelhante à gripe (febre, dor de cabeça e muscular) ou quadro clínico grave com dor na panturrilha, coxa, abdômen, tórax, tosse seca, manchas avermelhadas na pele, sinais de meningite, amarelamento da pele e mucosas, falência dos rins, sangramento e queda de pressão.

As principais medidas de controle da leptospirose são:

– Proteção á população: alertá-la nos períodos que antecedem as chuvas, para que evite entrar em áreas alagadas sem as medidas de proteção individual;

– Controle dos roedores e melhoria das condições higiênicas e sanitárias da população, proteção e desinfecção de áreas humanas de moradia, trabalho e lazer;

– Manter a higiene dos canis e de locais de criação de animais e retirar as sobras alimentares antes do anoitecer, pois servem de atrativos a roedores;

– Imunização dos animais domésticos, bem como a segregação e o tratamento dos que estejam infectados e/ou doentes.

Saiba Mais