BLOG

Megaesôfago

O que é?

O megaesôfago é caracterizado pelo aumento difuso do esôfago, associado a uma disfunção da sua musculatura, que origina dilatação progressiva com perda da sua função (propagação dos alimentos da boca ao estômago).

 

Qual a sua causa?

Na América Central e do Sul, regiões endêmicas para a doença de Chagas (que é transmitido pelo inseto chamado “barbeiro”, o megaesôfago, muita vezes, é associado a ela). Nessa doença ocorre perda da inervação do esôfago determinando incoordenação das contrações musculares. Existe um teste realizado por meio de coleta sanguínea que pode descobrir se a causa é a doença de Chagas ou não. Em muitos outros pacientes com diagnóstico de megaesôfago, nos quais a causa pode não ser descoberta, diz-se, então, tratar-se de acalasia ou megaesôfago idiopático. Para fins práticos, vamos denominar megaesôfago de uma forma geral.

 

Quais são os sintomas?

Os sintomas geralmente aparecem em pacientes com idade variando entre 25 e 60 anos de idade. A queixa principal é de dificuldades para engolir alimentos sólidos que progressivamente evoluem, dificultando a ingestão até de líquidos. O quadro é evolutivo, podendo demorar alguns anos para se desenvolver.

Outra queixa frequente é o desconforto na região torácica após a ingestão de alimentos e a regurgitação. Perda de peso também é frequente.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito pela história clínica do paciente, associada a exames complementares, como o exame radiográfico contrastado do esôfago, estômago e duodeno. Nesse exame, o paciente ingere um contraste radiopaco e são realizadas radiografias a fim de visualizar a alteração esofágica.

Podem ainda ser realizadas endoscopia digestiva alta e manometria (medida de pressão) esofágica para melhor estudar a função do órgão. Na endoscopia digestiva alta, é introduzida uma micro câmera, sob sedação, a fim de visualizar o esôfago. Já na manometria, é introduzido no esôfago um canal fino linear, com sensores em diversas posições que medem a pressão em diferentes regiões do esôfago. Esses 2 exames são indolores e realizados em ambulatório (sem internação).

Veja também: Câncer de esôfago – o que é?

 

Qual o tratamento?

O tratamento do megaesôfago, quando diagnosticado nas fases iniciais, pode ser desde uma dilatação esofágica guiada por endoscopia, até um tratamento cirúrgico por vide laparoscopia (cirurgia sem cortes, com micro câmera).

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OU MANDE UMA MENSAGEM

 

WhatsApp Agende sua consulta