Na maioria das vezes, conforme evolui, no idoso, a atrofia cerebral, que é falta de circulação no cérebro, ele começa a ter dificuldade na deglutição. Normalmente, quando a pessoa engole, há um movimento dentro da laringe, que fecha a entrada da traqueia e abre a entrada do esôfago, para que o alimento, líquido e saliva não vá para seu pulmão e vá para seu estomago. Porém, com o passar dos anos, alguns perdem essa capacidade e, quando vão engolir, pode ser que algo vá para o pulmão.

Esse problema se manifesta através do engasgo. O engasgo frequente significa que está começando a haver a broncoaspiração típica do idoso. Outro sinal da doença ocorre quando o idoso consegue engolir normalmente, mas depois tem uma crise de tosse, cheia de secreção.

Dependendo do grau do problema, pode haver o sufocamento do idoso por causa da entrada de uma grande quantidade de líquidos, alimentos, grãos dentro do pulmão, levando à insuficiência respiratória. Mas isso é algo mais avançado. Antes, é necessário observar os engasgos, aumento no catarro nos pulmões e aumento na incidência de pneumonia, porque a broncoaspiração leva conteúdo para dentro do pulmão, causando irritação e proliferação bacteriana.