BLOG

Varizes dos membros inferiores

O que são?

As varizes dos membros inferiores são veias permanentemente dilatadas e tortuosas, decorrentes de fraqueza congênita de suas paredes. Trata-se de uma doença de elevada incidência, que acomete pessoas de diferentes faixas etárias e, preferencialmente, mulheres. Além dos problemas estéticos e do desconforto que causam, podem originar complicações importantes e graves, algumas das quais determinando sequelas funcionais, irreversíveis e incapacitantes. A úlcera varicosa é a mais conhecida das complicações das varizes.

Qual é a sua frequência na população?

A prevalência das varizes aumenta com a idade. Estudos realizados em Israel e nos EUA mostram que, 3% dos homens, antes dos 30 anos, têm varizes, chegando a 40% próximo aos 70 anos. Nas mulheres, as varizes são mais frequentes, variando de 20% aos 30 anos, para aproximadamente 50% por volta dos 70 anos.

Quantos sistemas de veias nas pernas?

No membro inferior, há 3 sistemas de veias:

  • O sistema profundo, constituído pelas veias que se situam junto dos ossos e que é o mais importante para drenar o sangue das pernas, levando-o em direção ao coração.
  • O sistema superficial constituído pelas veias safenas e suas colaterais, e que é sede habitual das varizes.
  • O sistema das veias chamadas perfurantes, que comunica os 2 sistemas já mencionados.

O que são as causas das varizes?

As varizes podem ser primárias, que aparecem em pessoas com predisposição genética (fraqueza na constituição das veias), com elevada incidência familiar. Nesses indivíduos existem fatores desencadeantes como a idade, as gestações e a profissão, que podem determinar o aparecimento das varizes.

Com o envelhecimento do organismo, as veias vão progressivamente se tornando mais fracas, tendo a dilatar e se tornar varicosas.

É de observação corrente o aparecimento de varicosidades em mulheres durante a gravidez. Nas gestantes predispostas às varizes, vários fatores contribuem para seu aparecimento, como o aumento do fluxo sanguíneo pélvico, pela presença do útero grávido, a compressão que esse faz sobre as veias na segunda metade da gestação, e da influência de hormônios que estão aumentados nesse período.

Os indivíduos, cuja ocupação exige permanência prolongada na posição ereta (como os balconistas, dentistas, cirurgiões, etc) oferecem condição propícia à estagnação do sangue nas veias superficiais dos membros inferiores e, consequentemente, se forem predispostos, poderão se tornar varicosos. O mesmo se dá com os indivíduos cujas ocupações exigem grandes esforços físicos, como é o caso dos estivadores e dos halterofilistas.

As varizes secundárias são as que aparecem como consequência de outras doenças que podem provocar aumento da pressão nas veias superficiais. Às vezes, essas veias dilatadas são úteis para drenar o sangue da extremidade como ocorre, por exemplo, na trombose (obstrução) das veias profundas.

Quais são as queixas do paciente?

Os sintomas provocados pelas varizes dos membros inferiores são extremamente variáveis e dependem, na maioria dos casos, de sua intensidade, extensão, do tempo de evolução e da presença de complicações. Não existe, em alguns doentes, porém, relação entre o grau do varicosamento e a intensidade das manifestações subjetivas. Há indivíduos com grandes varizes e sintomatologia escassa, e outros com varizes discretas e sintomas intensos.

A dor, quando presente, tem caráter e intensidade variáveis. Já no início da doença, o individuo pode apresentar sensação de distensão, de plenitude e ardor nas varizes que se esboçam. Com o progredir da afecção, muitos doentes referem sensação de peso e cansaço nas pernas, quando em pé e parados, que se atenua com a marcha e cessa com repouso na posição deitada. Nos casos mais avançados, à medida que se instala o inchaço, escurecimento e endurecimento da pele, o peso e o cansaço pioram com o decorrer do dia, só melhorando com repouso prolongado e com os membros inferiores elevados.

Em qualquer fase evolutiva, os sintomas se tornam mais evidentes, quando o paciente fica parado por tempo prolongado, e nas mulheres, durante o período menstrual e de gestação.

Quando ocorrem complicações, como por exemplo, tromboflebites (inflamação com formação de coágulos dentro da veia) a dor torna-se contínua, mesmo em repouso e surgem os sintomas locais decorrentes da inflamação das veias.

Existem varizes internas?

De uma maneira geral, podemos dizer que não. Esse diagnóstico tem sido feito para explicar dores nas pernas em pacientes que não apresentam varizes externas, denotando a incapacidade do médico em diagnosticar corretamente a causa das dores, que geralmente são de origem ortopédica ou reumatologia.

Como se faz o diagnóstico de varizes?

As veias varicosas se apresentam como dilatações venosas que fazem saliência na pele, sendo na maioria das vezes, visíveis e algumas vezes só palpáveis. As chamadas micro varizes são veias azuladas menores, que podem ou não fazer saliência na pele, e as telangiectasias, são pequenos vasos de coloração avermelhada, tipo capilares, que são frequentes particularmente em mulheres, e que constituem importante problema estético para as mesmas.

Um exame simples e não invasivo, que tem sido útil como auxiliar no diagnóstico das varizes, é o ultrassom com Doppler, que nos fornece informações precisas, tanto em relação à estrutura das veias, como a sua funcionalidade.

Quais são as complicações que as varizes acarretam?

As varizes podem ocasionar uma série de complicações às quais se dá o nome de complexo varicoso. Os elementos mais comuns do complexo varicoso são:

– Inchaço das pernas que se acentua no final do dia, principalmente nos indivíduos que permanecem muito tempo em pé ou sentados.

Prurido (coceira) quando aparece o eczema varicoso que se caracteriza por manchas avermelhadas e descamativas na perna;

Espessamento e endurecimento da pele da região inferior da perna e escurecimento da pele nessa região;

Ferida na perna (ulcera varicosa) que é uma das complicações mais graves das varizes.

 – Hemorragia decorrente de ruptura de veias varicosas mais superficiais;

Tromboflebite superficial, ou seja, coagulação do sangue dentro das veias dilatadas associada à inflamação.

Celulite ou erisipela, que constitui a inflamação e infecção da pele como consequência da entrada de germes no organismo.

É possível prevenir?

Sendo um problema constitucional e familiar, não há medidas que evitem o aparecimento das varizes, mas, existem providencias que o paciente pode tomar para evitar as complicações. Assim, ele deve manter o peso adequado e fazer exercícios regularmente, como caminhadas e natação, que fazem a musculatura das pernas ativarem a circulação nas veias, evitando ficar sentado ou parado por muitas horas. A utilização de meias elásticas, indicada pelo médico, pode minimizar as complicações.

Qual é o melhor tratamento para as varizes?

O médico, após uma avaliação de cada caso, determinará o tratamento mais adequado. De uma maneira geral, podemos dizer que as varizes são, geralmente, de indicação cirúrgica. As micro varizes podem ser tratadas ou por “microcirurgia” ou por esclereoterapia (secagem dos vasos), seja por meio de injeções ou com o uso de laser, a critério do médico. Os capilares são tratados com esclereoterapia.

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OU MANDE UMA MENSAGEM