O que é sífilis?

A doença é sexualmente transmissível e precisa ser tratada assim que diagnosticada.

A sífilis é considerada uma doença sexualmente transmissível, causada pela bactéria espiroqueta Treponema pallidum. Na sífilis adquirida, a transmissão é sexual, a lesão localiza-se na região ano genital, sendo raro o contágio extragenital, como, por exemplo, nos lábios. Na sífilis congênita, a infecção é via transplacentária, a partir do quarto mês de gestação, originando a sífilis pré e neonatal (materno-infantil).Existem, também, casos da doença por transfusão de sangue, nos bancos de sangue, embora atualmente a incidência esteja em declínio, graças à triagem obrigatória de doadores. Há vários tipos de manifestações clínicas da doença:

– Sífilis primária:

após o ato sexual contagiante e período de incubação de três semanas em média, surge o cancro duro, lesão única, erosiva, de base endurecida e indolor, localizado nos genitais externos. Aproximadamente duas semanas depois, aparece o gânglio satélite não inflamatório. O achado do treponema é conseguido somente pelo exame em microscopia de campo escuro; provas sorológicas (exames de sangue específicos para pesquisa da doença) poderão estar ainda negativas nessa fase.

– Sífilis secundária:

após período de latência de quatro a oito semanas, caso não diagnosticada e tratada corretamente na fase primária, surge esse tipo, que corresponde à disseminação do treponema no organismo. Entre as manifestações, estão: lesões avermelhadas difusas na pele, vermelhidão e descamação; nas mucosas orais e genitais, surgirão placas e erosões e nos anexos, perda de cabelos no couro cabeludo, sobrancelha e cílios. Além disso, o paciente pode ter febre, dor de cabeça, fraqueza, dores musculares e nos ossos, e aumento do tamanho dos gânglios linfáticos.

– Sífilis tardia ou terciária:

se a fase secundária não for tratada corretamente, 10% dos pacientes terão esse tipo, com manifestações profundas na pele, nódulos e gomas. O número de lesões é pequeno, porém com caráter destrutivo e grave nos ossos, sistema nervoso e coração.

– Sífilis congênita:

a contaminação do feto, após o quarto mês de gestação, segundo a gravidade, pode provocar abortamento ou natimorto. Se a contaminação não for intensa, a criança pode nascer com lesões da sífilis congênita recente ou de aspecto normal e desenvolver posteriormente a sífilis congênita tardia.Se a pessoa não for alérgica, o tratamento de preferência é feito com penicilina benzatina. Deve ser sempre realizado por médicos, em postos de saúde ou em hospitais.

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MANDE UMA MENSAGEM