Síndrome de Down: possíveis causas

Síndrome de Down é um problema genético, é uma malformação. Na hora de formar o embrião e juntar os cromossomos, normalmente surgem 2 cromossomos 21, porém, por algum defeito podem surgir 3 cromossomos, dando o que chamamos de Síndrome de Down.

No Brasil, é uma doença que acomete aproximadamente uma a cada 700 crianças. Pacientes com essa malformação possuem uma série de características diferentes, por exemplo, na face, olhos, orelhas, mãos e também no intelecto porque o desenvolvimento neuropsicomotor é diferente.

Alguns estudos apontam que a chance aumenta em mulheres grávidas com mais de 35 anos. Porém, existem várias maneiras de diagnosticar durante e depois da gravidez.

Dia Mundial da Síndrome de Down

O dia 21 de março tem como objetivo a inclusão e a conscientização em relação à Síndrome de Down.

Recentemente passou na TV a entrega do Oscar e uma das pessoas que anunciou o vencedor era portadora de Síndrome de Down. Foi uma coisa muito bacana de se ver, apesar da pessoa que estava ao lado dela ter tido um comportamento muito ruim, mas temos que reconhecer que a inclusão dos pacientes com Síndrome de Down é uma coisa muito difícil, mas existe e está indo cada vez melhor.

Hoje nós temos o paciente portador de Síndrome de Down cada vez mais estudando, cada vez mais se desenvolvendo e cada vez mais se incluindo socialmente.

Faça o diagnóstico precoce

Não podemos nos esquecer de uma coisa, quanto mais precoce for o diagnóstico, quanto mais precoce for o estímulo para que o portador dessa patologia seja tratado com fisioterapia, fonoaudiologia e treinamento, mais vai se desenvolver um ser humano próximo do normal.

Quando nasce alguém com Síndrome de Down, você não tem nenhum medicamento e nem cirurgia para corrigir. A pessoa nasce desse jeito e ela é assim.

Portanto, quanto mais se assumir que essa criança precisa de cuidados especiais, maior a chance de ela ter um bom desenvolvimento e chegar cada vez mais próxima do normal.

O conselho para quem tem esse problema na família é: não tente achar que essa criança é uma criança normal, ela é uma criança especial e precisa de um tratamento especial.

Jamais coloque essa criança numa escola que não tem infraestrutura para dar o atendimento adequado, pois assim, você causa um grande transtorno nessa criança.

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OU MANDE UMA MENSAGEM

× Como posso te ajudar?