Triglicérides

A imagem mostra uma mulher branca e magra, com um top rosa e uma calça legging preta, segurando uma fita métrica corporal no abdome.

Triglicérides são moléculas de gordura, cuja função é servir como uma reserva que pode ser utilizada como fonte de energia quando necessária. Dependendo de algumas ligações químicas em suas moléculas, elas podem ser classificadas em gorduras saturadas (triglicérides de origem animal) e insaturadas (poli-insaturadas e monoinsaturadas – úiglicérides de origem principalmente vegetal).

Em quantidades excessivas, a gordura acumula-se em diversos locais como o fígado, o peritônio (tecido que envolve as vísceras) e a parede das artérias. Nas últimas, formam-se placas de gordura responsáveis por doenças como angina, infarto, derrame cerebral e insuficiência renal.

O que é o colesterol “ruim” e o “bom”?

Nenhuma das duas gorduras é capaz de ser transportada livremente no sangue. Para isto, o organismo desenvolveu moléculas especiais de proteína, denominadas apo lipoproteínas, que ligadas às triglicérides e ao colesterol, recebem o nome de lipoproteínas.

As lipoproteínas associadas às triglicérides recebem o nome de quilomícrons (que transportam as triglicérides do intestino até o fígado) e o VLDL (sigla em inglês para lipoproteína de densidade muito baixa).

Já as lipoproteínas associadas ao colesterol recebem o nome de LDL (lipoproteína de baixa densidade) e HDL (lipoproteína de alta densidade).

O colesterol normalmente existente no sangue é carregado por lipoproteínas de diferentes densidades. São essas lipoproteínas que são dosadas quando se pede um exame para avaliar o perfil lipídico do indivíduo. O LDL-colesterol é a lipoproteína de baixa densidade, conhecida como “colesterol ruim”, por ser o principal elemento das placas gordurosas arteriais.

O HDL-colesterol é a lipoproteína de alta densidade, conhecida como “colesterol bom’, por remover a gordura das placas de aterosclerose das artérias e conduzi-la ao fígado, onde ocorre sua transformação e eliminação. Portanto, o LDL-colesterol é um agressor do sistema cardiovascular ao passo que o HDL-colesterol é seu “protetor”.

Ter um perfil de colesterol favorável depende tanto de aspectos genéticos como comportamentais (dieta e exercícios).

Como fazer para baixar o colesterol?

O colesterol deve ser dosado pela primeira vez a partir dos 20 anos de idade (ou antes, caso haja história de colesterol alto na família). Quase metade da população adulta tem colesterol alto, decorrente de alimentação inadequada e problemas de metabolismo. Como não há sintomas, muitas vezes o problema fica sem tratamento durante décadas, até que seja tarde demais para adotar alguma estratégia preventiva.

O primeiro passo para reduzir o colesterol (mais precisamente, o LDL-colesterol) é a dieta, que deve ser pobre tanto em colesterol como em gorduras saturadas. Estas são a matéria-prima para a fabricação de colesterol dentro do próprio corpo. O colesterol está presente apenas nos alimentos de origem animal: carnes de todos os tipos, leite e derivados, e gema de ovo.

As gorduras saturadas estão presentes em alimentos de origem animal e vegetal. Caso a dieta não normalize a taxa de colesterol, o passo seguinte são os medicamentos. Os mais importantes chamam-se estatinas. São muito eficazes e causam poucos efeitos colaterais, mas em geral devem ser tomados continuamente e não dispensam a necessidade de dieta adequada e acompanhamento médico.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo e compartilhe!

dr salim assinaturafaixa assinatura Dr SalimDr. Salim

CRM-SP 43163

É conhecido também como médico da família. Formado em 1981, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, concluindo residência dois anos depois, em 1983. Desde então, atua como clínico geral no Hospital Sírio Libanês, além de atender também em sua clínica privada.

faixa assinatura Dr Salim

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MANDE UMA MENSAGEM